Home Blog

Qualidade de vida e segurança associada à quimioterapia

Os infusores elastoméricos foram desenvolvidos há mais de vinte anos, mundialmente são utilizados em diversos tipos de terapias medicamentosas, como controle da dor aguda no pós -operatório, controle da dor crônica, antibioticoterapias, cuidados paliativos e talassemia, no Brasil, sua utilização está mais relacionada à oncologia.

Os infusores elastoméricos foram desenvolvidos há mais de vinte anos, mundialmente
são utilizados em diversos tipos de terapias medicamentosas, como controle da dor aguda no
pós -operatório, controle da dor crônica, antibioticoterapias, cuidados paliativos e talassemia,
no Brasil, sua utilização está mais relacionada à oncologia.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima até o ano 2040 cerca de 29 milhões de
casos de câncer, devido ao crescimento e envelhecimento da população, acarretando maior
ônus econômico à saúde.

Dentre as várias modalidades de tratamento do câncer, a terapia antineoplásica
(quimioterapia) é a mais frequente. Cerca de 60 a 70% dos pacientes necessitam desta terapia,
que utiliza agentes químicos, isolados ou combinados e anticorpos monoclonais, com o
objetivo de tratar os tumores malignos, podendo estar associada ou não a outras modalidades.

O protocolo da terapia é instituído de acordo com o tipo do tumor, comportamento biológico,
localização, extensão da doença, idade e condições gerais do paciente. Atualmente esta
modalidade terapêutica é viabilizada graças à utilização de tecnologias em saúde como a
utilização de dispositivos de infusão contínua.

A Bomba Elastomérica BeCare vem de encontro com as tecnologias em saúde e as
necessidades dos serviços de oncologia, um produto capaz de atender diversos tipos de
protocolos de quimioterapia antineoplásica.

A Bomba Elastomérica BeCare é um dispositivo que permite a infusão contínua do
medicamento, com fluxo programado, não requer bateria ou rede elétrica para seu
funcionamento, a medicação é acondicionada no elastômero e protegida por um invólucro, em
geral a via de administração endovenosa é realizada através do cateter portocath, pois a
terapia pode variar em até sete dias de infusão.

Considerando os diversos tipos de reações que o organismo pode apresentar em
resposta ao tratamento, a fragilidade psicológica do paciente oncológico e a busca por uma
maior adesão e aceitação, instituir terapêutica através de bomba elastomérica proporciona ao
paciente maior qualidade de vida, permitindo que vá para casa recebendo os quimioterápicos
continuamente.

O tratamento domiciliar evita períodos longos e frequentes de internação hospitalar,
reduzindo custos e riscos hospitalares, como infecções oportunistas, tromboembolismos e
quadros depressivos.

O convívio familiar, o retorno as atividades diárias e até mesmo laborais propiciam
maiores níveis de endorfina, oxitocina e dopamina (neurotransmissores de prazer), reduzem
os níveis de cortisol pela supra renal, diminuindo o estresse e elevando o sistema de defesa do
organismo.

A equipe de enfermagem tem papel fundamental neste tipo de terapia, cabe ao
Enfermeiro, expor ao paciente as características de funcionamento, a segurança de uso do
produto, cuidados de manipulação e nortea – lo em relação às suas atividades, recepcionar
suas dúvidas e anseios, tranquiliza – lo e assim construir uma relação enfermeiro – paciente,
segura que perdurará por semanas.

Blog Leia matérias interessante na nossa News.